Filho de prefeita esclarece fatos sobre suposto envolvimento em confusão com vereador de Diamante

Por Júnior Viriato 07/06/2018 - 16:55 hs

 

 

Em contato com a redação do Portal Central Vale Notícias, na tarde desta quinta-feira (07), o jovem Leonardo Mangueira, que é filho da Prefeita Carmelita de Odoniel, de Diamante (PB), esclareceu os fatos que envolveram seu nome, em uma suposta confusão com o Vereador Adriano Santos Bernardino. De acordo com Leonardo, o que realmente aconteceu foi controverso ao que diz o vereador.

“O vidro da porta do veículo do vereador não foi estourado por mim, e sim, por ele mesmo. Naquele momento o vereador acionou o fechamento elétrico do vidro e em seguida puxou o meu braço para dento do carro, já que eu estava do lado de fora, e apontava a mão para ele.

Assim, com o braço preso, eu tive que puxar, pois Adriano iria de forma brutal, me decepar, já que ele acelerou o carro”, comenta. Ao contrário do que relatou o Vereador “Mancha” como é conhecido, Leonardo falou que seu pai, o Médico Odoniel Mangueira, não estava bebendo, pois ele está doente e fazendo uso de medicamentos, e no momento da suposta confusão, o ex-prefeito de Diamante estava dentro de seu veículo, já que suas capacidades de locomoção são reduzidas detrimento um acidente sofrido há mais de seis anos.

“Como meu pai seria um agressor? Esse vereador deveria tomar vergonha na cara e parar de estar maculando a imagem da nossa família”, diz Leonardo. Após a suposta confusão, Leonardo conta que o vereador gravou mais um de seus vídeos e começou a fazer alarmes falsos, dizendo que ele e seu pai queriam lhe pegar, quando tudo isso não teria acontecido. “Essa é mais uma mentira descarada desse alagoano”, dispara.

Leonardo finalizou dizendo que Adriano Santos tem feito a sociedade diamantense de palhaça, com encenações feitas através de vídeos, tentando demonstrar sua fúria por não ser uma pessoa de credibilidade diante o senso crítico social, e diariamente vem se envolvendo em problemas com empresários e pessoas de bem de Diamante, amontoando Boletins de Ocorrências e denúncias infundadas junto ao Tribunal de Contas, Ministério Público entre outros órgãos.