Delator diz que Globo integrou esquema

Burzarco é ex-presidente da produtora Torneos, também conhecida como TyC, empresa que negociava com os canais de televisão os direitos de transmissão, tanto na Argentina como em outros países da América Latina.

Por Júnior Viriato 16/11/2017 - 10:35 hs

Delator no esquema de propinas envolvendo dirigentes da Fifa, o empresário argentino Alejandro Burzaco acusa a TV Globo de participar de uma negociação de suborno em troca dos direitos de transmissão das Copa de 2026 e 2030.

Dirigentes da Fifa são investigados pelo FBI e o depoimento de Burzaco ocorreu nesta quarta-feira (15) num tribunal no Brooklyn, em Nova York.

O empresário está colaborando com a investigação, que é liderada pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, e pagou US$ 112 milhões de multa.

TV Globo nega as acusações.

Burzarco é ex-presidente da produtora Torneos, também conhecida como TyC, empresa que negociava com os canais de televisão os direitos de transmissão, tanto na Argentina como em outros países da América Latina.

Em seu depoimento, ele afirma que acertou, junto com a Globo e a Televisa, pagamentos de 15 milhões de dólares (quase R$ 50 milhões pelo câmbio de terça-feira) como forma de garantir os direitos de transmissão das Copas de 2026 e 2030.

O delator afirma que o pagamento foi combinado em março de 2013, quando acontecia um evento da Fifa em Zurique, na Suíça.

O destinatário da propina, segundo ele, era Júlio Grondona, dirigente da Fifa ligado à federação da Argentina, que morreu em 2014.

O delator diz que, após o acerto da propina, o dinheiro foi depositado numa conta ligada a Grondona no banco suíço Julius Baer.

Em junho, Jorge Arzuaga, ex-executivo do Julius Baer, declarou-se culpado à justiça e disse que ajudou Burzaco a mascarar propina a Grondona.